sábado, 26 de outubro de 2019

Não...


Não me afeta o olhar que não entende.
A angústia pequenina, fria e franzina
de quem caminha sem alcançar o poente.
Não me afeta a mediocridade mesquinha.

Vivemos em tempo de vacas sagradas
embriagadas pela dormência afetiva.
Trovoada espalhada sem norte
é sinonimo de fraqueza.

Não!...
Não me afeta o azedume dos desconhecidos.
A raiva simplória dos empedernidos.
Sempre me afetará os gemidos
dos que choram sem ter voz.

Sei que não entendem pessoas como eu.
Migalhas no universo.
Invisíveis ao intelecto forjado
desacreditado na certeza absoluta.
Mesmo assim…
Somos o que resta ao vento.
A capacidade de provocar lágrimas e sorrisos
desdém e crueldade.
Amor pelo prazer de dar.
E tudo isto:
É a certeza de que o caminho
É este.

26-10-2019




Sem comentários:

Enviar um comentário

Todos os Natais carecem de contos...

O meu Conto de Natal quando corre o ano de 2019, na viragem para uma nova década, num já usado século XXI, não tem nada de luzente e começ...