quinta-feira, 26 de julho de 2018

Diques...


Sabes…aquela nesga de céu que ilumina a alma.
Pode ser de um cinzento cor de chumbo.
Pode ser de um azul marinho e cintilante.
Até pode ser afogueada pela cor do enxofre
Mas será sempre a clarabóia para a eternidade!...

Por isso: não te canses naquilo que é supérfluo.
Deixa que o rio faça o seu percurso,
os diques são o suporte das águas,
mas… vem a tormenta e arrasa a estrutura.

E é a resiliência do castor quem constrói a esperança!


Sem comentários:

Enviar um comentário

Beato Salu, Um quase Conto de Natal

A manhã esteve escura e gélida, como se querem algumas manhãs de dezembro. Ele ali está, finalmente! Há uns dias que não me cruzava com...